|

VANTAGENS DO EXTRATO SECO PADRONIZADO EM RELAÇÃO AO PÓ

 


FITOTERÁPICOS

Definimos como , a droga vegetal seca submetida ao processo de moagem, dando origem aos pós de granulometria definida, que se classificam segundo o tamanho de partículas, recebendo a denominação de grosso, fino, finíssimo, etc. A qualidade desses produtos está ligada à qualidade das matérias-primas vegetais empregadas ( identidade botânica, partes estranhas ao farmacógeno, teor de umidade, etc.).
Já os EXTRATOS SECOS, são preparações obtidas de vegetais frescos ou secos, por meio de solvente específico. O processo elimina, totalmente, a fase líquida, pela operação de secagem em pressão atmosférica; ou reduz esta fase por liofilização ou pela incorporação de solução extrativa em matriz sólida.
Posteriormente, é realizada a secagem. A diferença é que os extratos secos, de um modo geral, possuem composição química definida e constante, com teores de princípios ativos maiores que os da droga vegetal que originou. No pó da planta, a composição depende de vários fatores, tais como qual parte da planta está presente, idade desta, época e local que foi coletada, condições climáticas próximas ao período de coleta, entre outros.

 

PRINCIPAIS VANTAGENS DO EXTRATO SECO

 

  • Devido à maior concentração dos princípios ativos, que são os responsáveis pelas ações farmacológicas, geralmente a dosagem usual é menor, mais precisa e mais eficaz.
  • Maior adequação aos procedimentos farmacotécnicos.
  • Em relação ao resultado final de um tratamento, as drogas vegetais apresentam grande variabilidade e menor biodisponibilidade das substâncias ativas ( o sistema digestivo teria que atuar como extrator), isso pode interferir dificultando em determinar a sua real eficácia.

Fonte: Revista Canal Aberto Ano 3-Edição nº7 pagina nº24

< voltar